terça-feira, 19 de novembro de 2013

... a propósito de "O Bolso"


Entrei no café com um rio na algibeira





Entrei no café com um rio na algibeira
e pu-lo no chão,
a vê-lo correr
da imaginação...

A seguir, tirei do bolso do colete
nuvens e estrelas
e estendi um tapete
de flores
a concebê-las.

Depois, encostado à mesa,
tirei da boca um pássaro a cantar
e enfeitei com ele a Natureza
das árvores em torno
a cheirarem ao luar
que eu imagino.

E agora aqui estou a ouvir
A melodia sem contorno
Deste acaso de existir
-onde só procuro a Beleza
para me iludir
dum destino.
 
de José Gomes Ferreira
(por Paulo Martins)


sábado, 16 de novembro de 2013

Acerca do "Bolso"


Aqui deixarei algumas estrofes da autoria de Alberto Caeiro, associadas ao exercício dramático em que nos encontramos a trabalhar. As estrofes são as seguintes:


1 - "Vale mais a pena ver uma cousa sempre pela primeira vez que conhecê-la,
Porque conhecer é como nunca ter visto pela primeira vez,
E nunca ter visto pela primeira vez é só ter ouvido contar."

2 - "Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que nossos olhos
nos podem dar
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver"

3 - "A espantosa realidade das cousas
É a minha descoberta de todos os dias."

"O Bolso" - ensaios

hYbris, Grupo de Teatro, continua os seus ensaios para a apresentação do primeiro projeto do corrente ano letivo, em Dezembro, desta vez a partir da adaptação de um texto original de Ruy Jobin Neto. A paixão pelo teatro tem sido demonstrada pelos elementos que fazem parte do grupo, este ano e a motivação é muita. Mais fotos em breve.
 







 
 
(Fotos de Paulo Martins)

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Novos projetos...

O ano letivo começou. Também este grupo, que procura nas suas vivências diárias, tornar o teatro vida e a vida em teatro. Somos menos. Muitos foram para a faculdade, outros estabeleceram as suas prioridades. E por que a falta de visão continua a existir, uma das coordenadoras deste grupo viu-se obrigada a mudar de escola. Mas ficou a vontade de continuar neste novo caminho que há de nascer. Do ano passado ficaram as saudades de um projeto que nos fez voar e a vontade de tornar os erros cometidos em novos e refrescantes desafios. Formou-se uma equipa. Pronta a decorar mais um texto, a contornar dificuldades. Para todos crescermos e um dia, mais tarde, relembrarmos. Leram-se textos. Ficou um. Pequeno. Fizemos as adaptações devidas tendo em conta o tempo, o número de atores / atrizes. E assim ficou um, da autoria de Ruy Jobim Neto. Chamar-se-á "O Bolso". E será sobre a sociedade em que vivemos, sobre os sonhos de todos nós e sobre as formas que utilizamos para aniquilar o que é genuíno, puro, verdadeiro. Será uma história de amor. Uma história sobre a infância de todos nós. Em Dezembro.
 
Cá vos esperamos, com a crença que as prioridades que cada um estabelece, dia a dia, valha a pena.
 
Um bom ano letivo. Cresçamos com o teatro e no teatro.